30 anos sem Vinicius Parte II







Bossa Nova e Afins

Bem vindos, ao melhor da MPB.
Textos e canções.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

"É, só tinha de ser com você
Havia de ser pra você
Se não, era mais uma dor
Senão não seria o amor
Aquele que a gente não vê
O amor que chegou para dar
O que ninguém deu pra você"

Só tinha de ser com você
Tom Jobim e Aloysio de Oliveira



A canção "Só tinha de ser com você" foi lançada neste disco, Caymmi visita Tom e leva seus filhos Nana, Dori e Danilo. De quebra Dorival Caymmi lançou também a hoje famosa, ... Das Rosas.
O disco é de 1963 e a gravadora era Elenco.




Getz/Gilberto- Os 45 anos do vencedor do Grammy.
Álbum e Canção do ano de 1965


Hoje, quando muito se fala que este ou aquele brasileiro ganhou um Grammy é uma verdadeira festa, mesmo que seja um Grammy Latino ou World Music. Sem desmerecer nenhum destes Grammies, pelo contrário acho sempre muito bom ganharmos, porque são categorias importantes também, com muitos participantes.
Agora o gostinho bom mesmo é ganhar a categoria principal e foi isto que aconteceu com o disco Getz/Gilberto. Com canções da bossa nova de Tom Jobim e Vinicius de Moraes e duas outras de Ary Barroso(Pra machucar meu coração) e Dorival Caymmi(Doralice) com arranjos de bossa nova o disco ficou espetacular
Com muitos brasileiros participando das gravações, começando por Tom Jobim arranjador e piano em todas as canções, além de compositor da maioria, João Gilberto vocal e violão, Milton Banana na bateria e Tião Neto no contrabaixo, não ficavam atrás dos bons músicos americanos.
Destaque especial para Astrud Gilberto que estreou neste disco como cantora e não parou mais, com sua voz perfeita para estes arranjos.
O álbum Getz/Gilberto, ressuscitou nos USA Stan Getz, saxofonista premiado, estava meio apagado em sua terra natal, depois de uma temporada na Suécia. Foi perfeito e valorizou com seu sax as canções brasileiras.
Com tantos músicos brasileiros, canções brasileiras, arranjos brasileiros do Maestro Soberano (como diz Chico Buarque) o disco é puro Brasil, apesar da gravadora americana e de ter sido gravado lá.

Ganhar o melhor álbum, competindo com o que havia de melhor naquela época não é para qualquer um e sim para os nossos gênios.







GAROTA DE IPANEMA

Fazer barba e cabelo é que é bom e em 1965, nós fizemos. Além do álbum, a canção Garota de Ipanema de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, ganhou a melhor canção trazendo para o Brasil o Grammy de melhor gravação. Uma gravação competente de Astrud e João Gilberto, com acompanhamento do sax de Stan Getz, piano de Tom Jobim , na bateria Milton Banana e Tião Neto no contrabaixo. Em um momento especial esta gravação está gravada e arquivada na Biblioteca do Parlamento americano, em Washington como uma das cinquenta melhores canções de toda a nossa história mundial da música, ao lado dos maiorais. Honraria para poucos.
Agora eu vou dar um presente para vocês, na janela abaixo, aperte o play e deliciem-se com dois momentos importantes deste disco e é claro um deles é esta gravação original de Garota de Ipanema. Com certeza você já ouviu centenas de vezes esta canção, mas nunca deste modo, gravada com tanta competência.



video


A BOSSA NOVA NÃO EXISTIRIA SEM AS POESIAS DE VINICIUS DE MORAES

Poeta formado no ninho dos românticos e dos grandes sonetistas, Vinicius de Moraes destoa das canções dor de cotovelo da época.
Ele manipula a felicidade neste novo conceito de fazer música, não abre mão do lirismo.
Quando fala de experiências tristes, não cede ao ressentimento ou ao amargor. Consegue fazer letras românticas sem o mau gosto e o que é o mais importante sem sentimentalismo barato.
A novidade que " O Poeta" traz é muito simples a de que o amor não precisa se tornar sofrimento para ser levado a sério.
Tem certeza que um relacionamento pode ter seus dias sombrios, mas que é sempre melhor deixar o sol entrar.
A canção "Janelas abertas", de 1958 e lançada no disco "Canção do amor demais", fala sobre esta visão do Poeta da Paixão, Vinicius De Moraes:

"Sim Eu poderia ficar sempre assim
Como uma casa vazia
Uma casa sombria
Sem luz, sem calor
Mas, quero as janelas abrir
Para que o sol possa vir
Iluminar nosso amor"




video

A GRAVADORA ELENCO


Uma das maiores divulgadoras da Bossa Nova foi a gravadora ELENCO. Criada especialmente para lançar o novo genêro musical em 1963.
Aloysio de Oliveira, diretor artisico da Odeon, demitiu-se para criar a ELENCO. A maioria dos interpretes e compositores da Bossa Nova não tinha gravadora e a Odeon só queria João Gilberto.
A ELENCo lançou os discos de estreia de gente como Nara Leão, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Edu Lobo, Astrud Gilberto, Baden Powell, Menescal e Maysa.
O disco de estreia da gravadora foi " Vinicius & Odete Lara".
Vejam abaixo a capa diferente, mas isto é assunto para outro dia, quando vou abordar outra inovação da Bossa Nova, as capas. falarei sobre a criação destas capas com as devidas explicações.








Nenhum comentário:

Postar um comentário